Legado de transformação: qual o impacto do coronavírus no futuro do agronegócio?

No momento você está vendo Legado de transformação: qual o impacto do coronavírus no futuro do agronegócio?
Mesmo em um ano de recessão econômica devido à pandemia de coronavírus, o agronegócio conseguiu crescer em 2020 e fechar o ano de forma positiva. (Imagem: Rawpixel)

*Por DELL TECHNOLOGIES

A pandemia de Covid-19, uma das maiores da história, mexeu com a economia mundial e muitos mercados econômicos foram afetados, inclusive o agronegócio. No entanto, devido à importância desse setor, ele sempre foi considerado como atividade essencial e não precisou parar as suas atividades, mesmo em momentos de restrição. Por conta disso, boa parte dos segmentos agropecuários tiveram aumento de suas vendas nacionais e internacionais, mesmo enfrentando desafios no transporte. Outros não tiveram tanta sorte, como o mercado de flores, que devido à queda de eventos, viu o comércio cair. Por outro lado, a tecnologia trouxe novos caminhos para os produtores rurais e todos aqueles, que de alguma forma, participam desse setor. Nesta matéria, entenda como o coronavírus impactou o agronegócio, tanto em relação às vendas, quanto em relação às novas tecnologias.

Mesmo em um momento de recessão, o agronegócio cresceu

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), o Produto Interno Bruto (PIB) brasileiro caiu 4,1% em 2020, o maior tombo em 30 anos da série histórica. Contrariamente aos demais setores, o agronegócio teve expansão recorde em 2020, comparado a 2019, de 24,31%, de acordo com dados do Cepea/Esalq-USP em parceria com a CNA (Confederação da Agricultura e Pecuária do Brasil). Como pode-se ver no gráfico abaixo, mesmo que 2020 tenha sido um ano desafiador para muitos setores, inclusive para o agropecuário, houve crescimento no PIB do Agro Brasileiro, quando comparado com o ano anterior.

Existem vários motivos para esse crescimento. Um deles é o aumento nas exportações, uma vez que a moeda brasileira está desvalorizada em relação ao dólar, assim, tornando a venda no comércio internacional mais vantajosa do que no mercado nacional. Atualmente, o Brasil é o maior exportador de soja do mundo. Com os grãos produzidos aqui, por exemplo, cerca de 1,2 bilhão de pessoas são alimentadas em todo mundo, segundo a Embrapa. Tanto que a expectativa da safra 2020/2021 é que ela ultrapasse 120 milhões de toneladas de soja, sendo que 77 milhões serão voltados para a exportação e 66 milhões de toneladas serão destinadas somente para o comércio chinês.

Tecnologias que cresceram no agronegócio devido à pandemia

Mas, nem todos os setores tiveram a mesma sorte do cenário citado anteriormente e, por isso, precisaram apostar em novos formatos para escoar a produção e continuar vendendo ou, no pior dos cenários, desistir do negócio.

A seguir, conheça algumas tecnologias que se tornaram grandes aliadas dos produtores rurais no último ano.

Eventos virtuais

O agronegócio é conhecido pela grande quantidade de feiras e leilões presenciais. Muitos produtores, inclusive, aguardam esses eventos para fechar vendas, comprar gado ou trocar a frota de equipamentos agrícolas, por exemplo. Porém, devido ao isolamento social, os eventos presenciais foram cancelados e as empresas precisaram encontrar um novo formato para demonstrar as oportunidades aos agropecuaristas.

O ponto positivo desse tipo de evento é a criação de uma experiência personalizada para cada participante, de acordo com as suas preferências. Algo que somente a tecnologia digital pode proporcionar. Além disso, também é possível mapear por quais stands virtuais o visitante passou e por quais ele se interessou mais e, com isso, entender quais foram seus pontos de interesse.

Rastreabilidade

Por conta da pandemia, muitos países intensificaram as regras de segurança alimentar para a entrada de produtos agropecuários, setor que também exporta cargas vivas. Além disso, muitos consumidores também passaram a ficar mais atentos em relação ao que é consumido, à localização de determinado produto, como foi o processo produtivo etc. Devido à doença, muitas famílias também adotaram hábitos de alimentação mais saudáveis e começaram a optar por alimentos que têm um cultivo sustentável. A única forma de comprovar isso, seja para a exportação ou para o consumidor final que compra internamente, é através da rastreabilidade.

E-commerces

Com a pandemia, muitas pessoas que ainda eram avessas ao consumo online resolveram se aventurar nessa experiência, já que durante os períodos de restrições, somente farmácias e mercados estavam abertos e, todos os outros itens não essenciais, eram vendidos de forma virtual. Apesar desse formato ainda ser novo para os agropecuaristas, muitos já estão começando a ver as lojas virtuais com outros olhos, já que elas possibilitam atingir um mercado antes desconhecido por eles, seja por conta da localização ou até mesmo das preferências.

Os dados mostram que o agronegócio é um setor em ascensão, já que, com o aumento da população, cada vez mais o mundo precisará de maior quantidade de alimento. Além disso, a tecnologia já está transformando as propriedades rurais pelo Brasil afora e a pandemia tende a acelerar ainda mais esse processo de transformação digital.

Deixe um comentário